Check-up vascular previne doenças circulatórias

vascular

A falta de atividade física, estresse, poluição, alimentação inadequada rica em açúcar, gordura e sal, consumo excessivo de bebidas alcoólicas e tabaco juntamente com hereditariedade são as principais causas para desenvolver doenças circulatórias. Aliás, de acordo com dados do Ministério da Saúde, derrames e infartos estão entre os grandes vilões da saúde, pois as doenças do aparelho circulatório lideram o ranking das causas de morte no Brasil. E pessoas que apresentam fator de risco como pressão alta, diabetes, obesidade e sedentarismo devem redobrar o cuidado.

Segundo o angiologista Ary Elwing (CRM-22.946), especialista em cirurgia vascular periférica e tratamento a laser, o sistema circulatório arterial é responsável pelo fornecimento de sangue a diferentes órgãos do corpo. “Qualquer restrição que interrompa o fluxo sanguíneo pode causar sérios problemas, sendo que alguns podem ser fatais. Por isso, é fundamental prevenir diferentes tipos de doenças do sistema circulatório”, explica.

A partir dos 35 anos, qualquer pessoa deve apostar em exames anuais de check-up, principalmente os portadores de diabetes e hipertensão. Após minuciosa consulta, o médico elabora a lista de exames necessários. “O check-up consiste em analisar a saúde e levantar sinais, sintomas e fatores de risco de alguma doença. O objetivo é identificar quais são os riscos e fazer um diagnóstico precoce, orientando o tratamento mais adequado para cada caso”, ressalta Elwing. Além disso o check-up vascular identifica os principais sinais que provocam as doenças vasculares. “Isso confirma os riscos de o paciente desenvolver complicações circulatórias, prevenindo o surgimento de doenças como acidente vascular cerebral (AVC), infarto ou aterosclerose”, esclarece.

As doenças do sistema circulatório estão interligadas com o mecanismo cardíaco envolvendo veias, artérias e alguns órgãos responsáveis por filtrar, bombear, oxigenar e distribuir o sangue para o corpo. Entre as doenças circulatórias, destacam-se: AVC, isquemia cerebral, angina, arritmia, miocardiopatia, aterosclerose, cardiopatia congênita, doença arterial coronariana, hipertensão, e doenças vascular perifericas.

“A origem pode ser hereditária. Algumas pessoas nascem com algum tipo de anomalia no sistema circulatório que podem ser controladas com boa alimentação, cuidados com higiene, atividades físicas e evitando o consumo de bebidas alcoólicas e fumo”, destaca Elwing.

A importância deste check-up na gestação
Quem deseja engravidar deve apostar em um check-up completo para avaliar suas condições de saúde. Isso porque durante a gestação, a mulher corre um risco maior de apresentar complicações vasculares, como trombose venosa profunda. Afinal, a elevação hormonal pode alterar a viscosidade sanguínea e provocar coagulação causando riscos para o bebê e para a mãe. Um check-up identifica possíveis problemas facilitando sua prevenção e tratamento.

“A gestante necessita de mais oxigênio e nutrientes para que consiga desenvolver uma gravidez sem complicações. Devido às mudanças no corpo e, principalmente, às modificações no sistema cardiovascular feminino, a gestante pode sentir palpitações, aumento da capacidade cardíaca, compressão da veia cava e retorno venoso dificultado”, detalha Elwing.

Como é feito?
O check-up vascular é realizado por meio de um equipamento que mede a espessura e o grau de calcificações das artérias, além da realização de exames clínicos e laboratoriais. “Os exames permitem uma análise criteriosa morfológica dos vasos sanguíneos e também revelam informações da situação hemodinâmica e funcional da circulação sanguínea do paciente”, afirma Elwing.

Quais exames são feitos?
Eco-doppler colorido, angiotomografia arterial e/ou venosa e fotopletismografia e pletismografia a ar. Por meio deles, é possível fazer uma análise completa da circulação sanguínea e detectar a presença de tromboflebites, estreitamentos, obstruções, aneurismas, além de esclarecer dores e inchaços nas pernas e presença de varizes. “Esse diagnóstico completo permite elaborar um plano de prevenção eficaz para combater as doenças circulatórias”, informa.

Cuide da sua saúde
Manter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos é a maneira mais eficaz de cuidar do sistema circulatório. O angiologista Ary Elwing revela algumas dicas para não sofrer de doenças circulatórias, confira:

Pratique mais
Espante a preguiça e exercite-se! A atividade física regular mantém o bom funcionamento do fluxo sanguíneo no corpo, reduzindo as chances de surgir doenças do aparelho circulatório.

Pare de fumar e controle o álcool
Dependendo da gravidade da doença, o fumo pode levar à morte. Por isso, é melhor evitá-lo completamente. Já o álcool pode agravar o estágio da doença. Portanto, evite consumir doses exageradas de bebidas alcoólicas.

De olho nos ponteiros da balança
Pessoas com excesso de peso são mais suscetíveis às doenças cardiovasculares. Por esse motivo, é importante aderir a uma dieta balanceada e praticar atividade física para reduzir o peso de forma saudável.

Alimentação rica em vegetais e frutas
Os vegetais frescos e as frutas influenciam na circulação sanguínea. Prefira consumir peixes, amêndoas, nozes, óleo de soja, carnes magras e laticínios.

Fonte: http://www.buscasaude.com.br/

Cirurgias plásticas em adolescentes e crianças chegam a 127 mil por ano

plastica-adolescencia-elizeu-lavor

Devido às novas técnicas utilizadas em cirurgias plásticas, cada dia menos invasivas, a procura dos pais por orientação sobre cirurgias em seus filhos tem crescido a cada dia.

Quando se trata da estética, a procura maior é pela otoplastia, para corrigir as conhecidas “orelhas de abano”, visando evitar traumas psicológicos ou problemas físicos na idade adulta. Porém, segundo os especialistas, este procedimento só pode ser realizado após os quatro ou cinco anos de idade, quando a orelha já está desenvolvida o suficiente.

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), são realizadas 127 mil 887 cirurgias plásticas por ano em crianças e adolescentes, o que representa 21% do total de procedimentos cirúrgicos, estéticos ou reparadores no Brasil.

No quesito de reparação das orelhas, a procura é mais pelos meninos, devido à classe ser mais afetada, por usarem os cabelos curtos e deixarem as orelhas à mostra. Apelidos na escola e na vizinhança, situações de “bullying” podem causar reações violentas e até depressão, interferindo no desempenho da criança.

Por ter grandes orelhas, Charlie Figlia, de 15 anos, passou a ser chamado de Dumbo dentro da escola. O garoto não tinha vontade de ir ao colégio e nem olhava para as meninas, com vergonha de suas orelhas. Há um ano, o jovem fez uma cirurgia e o resultado fez Charlie chorar de felicidade quando se viu no espelho e não mais se sentiu incomodado.

Lábio leporino

Outra procura grande é pela correção do lábio leporino, rinoplastia (nariz), lipoaspiração, microtia –, que é uma anomalia congênita caracterizada por uma pequena forma anormal da orelha – e redução ou aumento das mamas.

A contadora Ana Cláudia Freitas Souza, 38 anos, disse que sua filha nasceu com uma má-formação na pálpebra de um dos olhos, que o deixava menor do que o outro. Aos quatro anos a menina começou a se incomodar com a deficiência e às vezes não queria ir à escola. “Os coleguinhas ficavam perguntando por que o olho dela era daquele jeito e isso a deixava constrangida. Procuramos um especialista, fizemos a cirurgia reparadora e hoje ela se encontra com seis anos e nem parece que teve a deficiência no olho”, ressaltou.

Casos de saúde ou estéticos

Fissuras labiais e palatinas são chamadas de lábio leporino. Essas patologias devem ser avaliadas precocemente pelos especialistas, de preferência logo após o nascimento, para se estabelecer um programa de tratamento que inclui, não só a cirurgia, mas, a utilização de próteses que previnem o agravamento das deformidades. Geralmente se opera a fissura labial entre 30 dias e três meses de nascido e a fissura palatina entre seis meses e um ano de idade.

Conforme os especialistas, cirurgias plásticas em crianças e adolescentes são realizadas apenas quando se trata de uma questão de saúde, mas vêm crescendo os casos em que os motivos são puramente estéticos, principalmente em operações de redução e aumento de mamas.

Fonte: http://www.tribunadabahia.com.br

Com Saúde Não Se BRINCA!

Saúde

Você sabia que o médico da SBCP estudou 12 anos e precisou passar pela prova da entidade para ganhar o título de especialista?

Por isso, pense bem antes de escolher o profissional que irá realizar sua cirurgia. Verifique no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica se ele é realmente um especialista.

COM SAÚDE NÃO SE BRINCA!

Fonte: Blog da SBCP

www.sbcp.com.br

www.eriknery.com.br