Mamoplastia e Amamentação

Prótese de mama: Antes ou depois da amamentação?

09claudiabebe-sagitario

Uma das maiores dúvidas entre mulheres que desejam realizar a Cirurgia de Inclusão de Prótese de Silicone de Mama (Mamoplastia de Aumento) é a hora certa de realizá-la. Informações erradas devido à crescente exposição na mídia sobre o assunto, levam as pacientes ao medo e à dúvida, ao invés de esclarecer corretamente os fatos. Entre as mais variadas está uma das mais comuns perguntas: “Posso realizar a Mamoplastia logo após o parto, durante a amamentação ou preciso esperar?”.

Antes de responder diretamente à pergunta, é preciso explicar algumas alterações no corpo da mulher durante a gestação e após o parto.

Durante a gravidez e principalmente após o parto, a mama sofre um grande estiramento devido à produção de leite. A pele, por ser um tecido elástico, acompanha o crescimento dos seios, mas não pode suportar sua velocidade, gerando flacidez e o aparecimento de estrias. Entretanto, não é somente em decorrência da produção de leite que os seios aumentam de tamanho. A gestante engorda, em casos ideais, cerca de um quilo por mês, aumentando o volume de gordura na mama. Portanto, quanto mais a paciente engordar, maiores ficarão seus seios.

700-00616636

A Mamoplastia de Aumento não pode ser indicada para lactantes porque a mama ainda não terá diminuído de tamanho para que a prótese seja colocada de forma correta e de tamanho apropriado. Muito pelo contrário, se a Mamoplastia for realizada nesse período a prótese escolhida provavelmente será menor do que deveria e sobrará pele ao término da amamentação, tornando a mama ainda mais caída. O tempo certo para a realização da Mamoplastia deve ser alguns meses após cessar a amamentação, pois desse modo infecções indesejadas para a mãe são evitadas e os resultados da cirurgia são garantidos com sucesso.

O melhor a se fazer é adiar a Mamoplastia para cerca de três meses, pelo menos. Mas, durante a gestação e a amamentação, é possível evitar grandes estiramentos de pele e consequentes estrias e flacidez com uma boa hidratação diária da pele e cuidados com a alimentação, evitando o excesso de engorda.

Fonte: http://www.plasticamontenegro.com.br/

Cuidados pré e pós-operatórios

O pré operatório é essencial para o sucesso da sua cirurgia plástica. Cuidar do seu corpo e prepará-lo para uma cirurgia plástica ajuda na sua recuperação.

* Se tiver gripe ou infecção seu medico deverá saber até dois dias antes e a cirurgia deverá ser adiada;

*  Evite bebidas alcoólicas e comidas pesada na véspera da cirurgia;

* Evitar todo e qualquer medicamento para emagrecer, inclusive diuréticos;

* Evitar todo e qualquer medicamento à base de ácido acetil-salicílico (AAS, Aspirina, Melhoral, Bufferin) ou qualquer medicação contendo ervas (Arnica, Ginko Biloba, etc.), com efeito, anticoagulante pelo menos 15 dias antes da cirurgia. Evitar também o uso de antiinflamatórios. Novalgina e Tylenol podem ser  usados em caso de dor;

* Não tomar 30 dias antes da cirurgia anticoncepcional oral ou injetável;

* Evite fumar;

* Evite exposição solar;

* Faça drenagem linfática para eliminar impurezas;

 

Após a cirurgia plástica é hora de cuidar do pós operatório e tudo deve ser seguido a risca para evitar cicatrizes, infamações, inchaços.

* Repouso;

* Siga as instruções dos médicos para movimentos na área operada;

* Medicamentos e dor: pergunte para seu medico quais remédios você pode tomar em caso de dor e tome nos horários certos;

* Curativos: volte ao hospital ou clinica para troca de curativos nos dias agendados;

* Alimentações leves;

* Veja com seu medico como será o procedimento de banho. Se a recomendação for não lavar o local, não lave;

* Veja se você pode fazer tratamento de drenagem linfática na área para evitar hematomas;

* Use cintas sempre que for possível e indicado;

* Não se preocupe com as formas intermediarias nas diversas fases;

 

Fonte: Portal da Cirurgia Plástica

A história da Cirurgia Plástica

A Cirurgia Plástica, por incrível que pareça, nasce na antiguidade  Médicos indianos realizavam transplantes de pele e reconstruções nasais já no século VIII a.C, período no qual a amputação do nariz era um castigo para certos crimes. Os Romanos desenvolveram simples técnicas como a reparação de orelhas danificadas ainda no século I a.C.

Eras mais tarde, o médico bizantino Oribasius criou a enciclopédia médica Synagogue Medicae, na qual contém textos sobre cirurgias plásticas, apesar da especialidade ainda estar longe de existir oficialmente. Oribasius demonstrou sua compreensão a respeito de técnicas importantes como a de utilização de retalhos para evitar a distorção das características faciais e o processo de criar fios de sutura sem tensão. Seu trabalho foi de grande influência para as técnicas médicas e cosméticas atuais.

Somente no século XV a cirurgia plástica começou a evoluir novamente, com os estudos de Heinrich von Pfolspeundt, que conseguiu realizar a construção completa do nariz, utilizando a pele em excesso do braço. A Rinoplastia foi, então, a mãe das cirurgias plásticas reconstrutoras, ganhando enorme repercussão na Europa do século XVIII. Inúmeros combatentes de guerra se submeteram à cirurgia para melhorar a aparência de seus narizes, que sofreram impactos na luta armada.

Outro motivo da crescente popularidade da cirurgia plástica foi a criação da anestesia cirúrgica, que tornou os procedimentos mais seguros e menos dolorosos. A cirurgia plástica como especialidade médica oficial surgiu na Primeira Guerra Mundial. Além dos milhares de soldados que morreram, milhões foram mutilados ou deformados, gerando uma demanda enorme por procedimentos de reconstrução e reparação estéticos.

A medida que a tecnologia da medicina evoluiu, os procedimentos de cirurgia plástica foram no mesmo ritmo. Hoje, esse campo da medicina tem muitas especializações, oferecendo uma variedade de procedimentos de cirurgia plástica aos pacientes interessados. A evolução contínua da cirurgia plástica permitiu a milhões de pessoas se beneficiar dos procedimentos, tanto físico como psicologicamente.

 

Fonte: Portal de Cirurgia Plástica

Cirurgia plástica no Brasil

Atualmente, o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking mundial de cirurgias plásticas, perdendo somente para os Estados Unidos, e é considerado o número um em relação ao aperfeiçoamento de novas técnicas e à qualificação dos cirurgiões.

Com o aumento da procura, cresce também o número de profissionais que estão se especializando nessa área. E o mais interessante é que esses profissionais vêm alcançando sucesso e reconhecimento fora do país nunca vistos em outras áreas da medicina.

Pode-se dizer que o Brasil virou referência mundial por possuir uma enorme equipe com nomes sempre presentes em congressos internacionais. Três fatores justificam essa posição: a qualidade dos médicos brasileiros, a grande preocupação que o brasileiro tem com o corpo, com a vaidade e, por fim, a questão do acesso.

Os valores dos procedimentos são razoáveis, o que possibilita que mais pessoas façam a tão sonhada cirurgia plástica. Existem profissionais especializados no Brasil inteiro, porém é em São Paulo, a “capital financeira do Brasil”, onde se concentra o maior número de clínicas de cirurgia plásticas e estéticas do país.

Com essa divulgação mundial no quesito qualidade dos cirurgiões plásticos brasileiros, há um grande número de estrangeiros que vem ao país especialmente para realizar procedimentos cirúrgicos. Mas é preciso alertar que para a cirurgia plástica sair de acordo com o que o paciente quer, é necessário que ele tenha tempo disponível para realizar o procedimento e fazer o acompanhamento pós-operatório.

Portanto, o paciente não pode vir ao Brasil com a passagem de volta marcada para dali a alguns dias. São necessários pelo menos 30 dias para cirurgias mais simples e três meses para cirurgias mais extensas. Esse é o período mínimo para que o médico avalie as possíveis alterações pós-procedimento e possa intervir em casos específicos. Esse tempo é também recomendado para a troca de curativos, remoção dos pontos, retirada de dreno e realização de drenagens linfáticas, a fim de diminuir possíveis edemas e ajudar na recuperação do tecido recém-operado.


Fonte: Portal Cirurgia Plástica

Descubra mais sobre o Rejuvenescimento Facial

O resurfacing a laser, também conhecido como peeling a laser, é uma técnica de rejuvenescimento facial eficaz, que pode produzir resultados duradouros. Com o tempo, fatores como danos provocados pelo sol, hereditariedade, dieta e movimento muscular repetitivo contribuem para a formação de linhas e rugas no rosto. Além disso, o desenvolvimento de anomalias pigmentares, como as “manchas de idade” ou cicatrizes de acne levam a pele a perder a sua aparência macia e juvenil.

Sendo assim, o rejuvenescimento da pele é um tratamento para tratar sua pele, melhorar a aparência e a textura em geral.

Situações que podem ser tratadas:

• Rugas estáticas: Estas rugas são sempre visíveis e não mudam de aparência com os movimentos faciais.
• Rugas dinâmicas: Estas são as linhas de expressão que podem aparecer como pregas quando a pele não está se movendo, e aprofundar com os movimentos faciais ou expressões.
• Pigmentação: Sardas, manchas de sol, melasma, manchas escuras ou demais manchas escuras resultantes, principalmente, da exposição ao sol.
• Cicatrizes: Resultado de acne ou ferimentos na pele.
• Doença vascular: Vasos sanguíneos visíveis na superfície da pele, lesões vasculares que aparecem como minúsculas bolhas de sangue ou mesmo um rubor facial constante.
• Perda de tonalidade da pele: Enfraquecimento da estrutura de sustentação da pele (fibras de colágeno e elastina), que resulta em perda de firmeza da pele, ou desenvolvimento de celulite.

Bons candidatos a cirurgia são:

• Indivíduos fisicamente saudáveis,
• Não fumantes,
• Indivíduos com perspectiva positiva e expectativas realistas do procedimento.

Resultados: 

Os procedimentos de resurfacing e de rejuvenescimento de pele podem produzir melhora acentuada nas condições da pele e em sua aparência geral. As tecnologias e os tratamentos disponíveis estão avançando rapidamente e você pode se surpreender com a melhora que pode ser obtida através de processos relativamente simples.

Pense nisso: Ao escolher um cirurgião plástico para realizar este procedimento, lembre-se de que a experiência do cirurgião e seu bom relacionamento com ele são tão importantes quanto o custo final da cirurgia.

 

 

Fonte: Site do Dr. Erik Nery e Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

www.eriknery.com.br

 

Dicas para quem vai fazer implantes de silicone

Implantes de Silicone

Com a chegada do outono, acontece um aumento natural na busca pela sonhada e tão planejada cirurgia plástica – segundo a  Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica o índice chega a subir cerca de 50% durante o período das férias escolares.

implantes silicone

1. Escolha um especialista habilitado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).
2. Fale com quem já foi operada pelo médico.
3. Certifique-se de que o hospital é bem equipado.
4. Siga à risca as orientações do pré-operatório.
5. Leve para o hospital o sutiã cirúrgico.
6. Esqueça o implante da moda, da famosa ou da sua amiga.
7. Veja se os contras da operação pesam menos do que os prós.
8. Cerca de cinco anos depois da cirurgia e depois de amamentar volte ao médico para ver se é preciso reposicionar a prótese.
9. Tenha em mente que seus seios não ficarão como na adolescência.
10. Desconfie se o preço for baixo demais e você só for apresentada ao médico no dia da operação.

Fonte: http://mulher.uol.com.br/beleza/noticias/